terça-feira, 10 de maio de 2016

Papelaria.


Acordei no horário de sempre, talvez um pouco mais cedo pois aconteceu algo raro de eu ir dormir bem mais cedo e não ter acordado com nada durante a noite, daí eu acordei mais ou menos no horário de sempre mas foi mais cedo. Saí de casa para resolver uma coisa na rua, e fiz quase tudo caminhando com a imagem de uma papelaria na cabeça. Não sei quando a coisa começou, mas eu estava pensando em papelarias. Lembrei de uma ali perto da Sampaio Vidal, no cruzamento onde ficava a sede da empresa responsável pelos bilhetes de ônibus, onde, no último ano, eu tinha que ir toda semana para carregar o meu bilhete com passe de estudante, eventualmente eu saía do lugar dos bilhetes e parava lá para comprar algo ou simplesmente olhar as canetas e cadernos - tinha uma outra também, na própria Sampaio, a frequentei por anos, mas acho que essa outra me ganhou por algum outro motivo. Lembrei também de uma outra que eu conheci ano passado mesmo, ali na Vila Mariana, perto de uma faculdade burguesa até as horas, a descobri pela internet e fui um dia até lá de bicicleta, gostei dela, do cheiro, da disposição das coisas, das pessoas que atendem e dos preços. Tem uma também, essa eu descobri mais para o final do ano passado, mais perto ali do Morro Grande, que tem tudo que tem nas outras, mas com preço inferior, talvez seja por que o aluguel ali é bem inferior ao cobrado na Vila Mariana ou no centro de Marília - não, acho que não é mais barato que no centro de Marília. Uma vez eu fui pra Piracicaba e precisava ir ao banco fazer coisas que só fazemos em bancos, e ai no caminho passei por uma papelaria que parecia grande, no retorno do banco - após constatar que eu tinha mais dinheiro do que esperava - entrei na papelaria e passeei, como um turista que para debaixo da torre eiffel para observar as porcas e curvas no metal e, que papelaria, que primor de prateleiras, que primor de materiais, que primor de valores cobrados por canetas importadas com a ponta felpuda! Teve uma época, mas isso foi por pouco tempo, que teve uma papelaria grande na avenida mais próxima à minha rua, deveria ter cerca de cento e cinquenta metros entre a porta da minha casa e a da papelaria, eu me referia a ela pelo nome, como se fosse um nome próprio, uma amiga que eu ia visitar. E tem também as lojas daquela grande rede, com carrinhos de metal enormes, corredores gigantes e prateleiras altíssimas, aquilo para mim é um shopping center, serei mais reflexivo sobre elas: quando criança lembro de ir em uma dessas ali perto do chiqueiro quando precisava comprar material escolar, minha mãe via o que ainda tinha do ano anterior que serviria, fazia a lista do que precisava e íamos lá; quando cheguei em Marília não demorei em descobrir onde ficava a loja no centro da cidade, é a maior papelaria de lá, sem dúvida, e a frequentava com certa frequência frequente(embora eu tenha passado a preferir uma outra que tinha em frente a ela, era de uma rede municipal, menor, de atendimento mais pessoalizado e o dinheiro circulava sem passar pelos trâmites de uma grande rede de capital); e desde que comecei a pedalar em São Paulo passei a ter por hábito, quando preciso de algo de papelaria, jogar na internet onde tem uma delas, e pedalar até uma que não conheço, andar pelos corredores sem pressa, ver o que tem de específico em relação às outras. Não sei, talvez a minha simpatia venha pelas camisas do Corinthians do início da década de 1990, talvez venha simplesmente pelo fato de que eu criei um gosto por papelarias.
Verso 20.
Papelaria. Passei parte do dia pensando nesse conceito. Me imaginei com o avental de uma das papelarias citadas e trabalhando nela, seria algo bacana - além da gráfica ou do curso de design. Papelaria. Papelaria. Aquele monte de prateleiras com aqueles montes de coisas, não sei, talvez seja doloroso arrumá-las, talvez seja um modo de, na marra, aprender a organizar as coisas e o fazer repetidamente dia após dia. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Também pensei que inferno que deve ser trabalhar nelas em épocas de pré-volta às aulas, crianças ensandecidas gritando-correndo pela loja com um caderno colorido do personagem da moda em mãos, pais e mães descabeladxs correndo atrás da criança dizendo que é ou o caderno do personagem da moda ou o estojo com cheirinho e cor de chiclete de tutti-frutti, pais e mães brigando com os funcionários pois no folheto diz que a partir de duzentos reais em compras pagando à vista com cartão de débito ou dinheiro tem desconto de dez por cento no total e elxs querem pagar com cartão de crédito e ter ao menos cinco por cento de desconto. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Que prazer deve ser abrir uma caixa de papelão cheia de pacotes de papel e sentir o aroma da morte de árvores geneticamente modificadas para o crescimento e o corte mais rápido. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Passear por uma quando tudo já está fechado, vazio, sem nenhum cliente. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Uma. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria.Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Hora. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria.Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Ia. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Me. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria.Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Bater. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. O. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Desespero. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria. Papelaria.


Nenhum comentário: