domingo, 1 de maio de 2016

Encaixe.


Acho bacana quando pego uma forma de gelo no freezer e a mexo para os lados, descolando os cubinhos dela. Em seguida dou uma pequena chacoalhada para que eles saíam um pouco dos pequenos espaços, retiro as pedras que usarei, e dou outro breve chacoalhão, este buscando que as pedras de água sólida tornem a se encaixar nos vãos da bandeja plástica. Volto-a ao freezer. Escrever é um exercício pesado. Me refiro a escrever algo denso, longo, duradouro, um projeto cumprido que envolve tantas etapas. Chegar ao finalmente de escrever, em si, a coisa, é algo dotado de uma rigidez difícil de definir. Às vezes é necessário sair do freezer, e dar aquele chacoalhão na forma mental para tirar os cubinhos dela, em seguida, continuando com o movimento, dar outra chacoalhada para que eles retornem ao espaço em que se fizeram como gelo. Reorganizar as idéias. Na verdade, hoje, o segundo chacoalhão foi dado um pouco antes de eu alcançar o cruzamento da Avenida Engenheiro Caetano Alvares com a Imirim, quando virei a bicicleta a 180º e voltei para o freezer com as ideias reorganizadas na forminha.
Verso 30.


Nenhum comentário: