sábado, 20 de fevereiro de 2016

Santo André x Marília - Campeonato Paulista Série A2


Quando dei uma olhada na tabela da Série A2 antes do início do campeonato esse foi um dos jogos que eu marquei que tinha de ir. Não conhecia o Estádio Bruno José Daniel e queria/quero ir nos jogos do Marília na grande São Paulo (morei na cidade por 6 anos, e a frequência aos jogos do MAC me fizeram criar algum vínculo com o time e grande respeito por muitos torcedores). Por essa última razão, neste jogo fui no setor de visitantes, o que rendeu algumas fotos não muito boas da torcida local.















Tinha a impressão de que o estádio utilizado pelo Ramalhão em seus jogos era maior e talvez possuísse algum "luxo" a mais, por ter recebido até jogo de Libertadores já. Quebrar esta sensação e andar em degraus de cimento com marcações de lugar para inglês ver foram boas surpresas.



Na postagem anterior, com fotos do jogo Barretos x Mirassol há uma foto de torcedores vizinhos ao estádio acompanhando o jogo de cima de um telhado. Confesso que foi grande minha surpresa ao ver fenômeno semelhante ocorrendo também em Santo André. Com uma dose um pouco maior de urbanização e verticalização.












Este rapaz vestindo colete amarelo é uma espécie de "vigia", sua função, conforme me relatou, é evitar que torcedores acessem o gramado, seja pulando a grade seja abrindo um portão que há nesta. Dado instante do jogo alguns torcedores do Marília se aglomeraram na grade para xingar o banheiro. O "vigia", no atributo de sua função, em vez de acalmar ou apenas observar os torcedores, tratou de ofendê-los e desafiá-los veementemente, criando uma animosidade desnecessária. Se queremos pensar nos estádios e arenas como ambientes seguros, cabe aos responsáveis por estes que coloquem para trabalhar nos jogos pessoas devidamente treinadas para abrandar situações de risco, e não sujeitos desavisados que em situações de ânimo inflamado querem brincar de autoridade.









Ao término do jogo, com uma vitória inesperada do Marília, os torcedores visitantes se aproximaram da grade que os separava dos locais, para comemorar a vitória e dar aquela zuada na rapaziada que ia embora cabisbaixa. Do lado Maqueano ouvia-se "vai pra casa fabricador de parafuso", "sub distrito de Mauá", do lado Andreense ouvia-se "volta pra roça", "vai cortar cana". O futebol às vezes é esse espaço aberto para a destilação de preconceitos.


Uma curiosidade: em 2014, logo que retornei à São Paulo, o MAC realizou boa campanha na Série A2, e chegou na última rodada com ótimas chances de garantir o acesso. Fui acionado por um jornal da cidade para acompanhar e fotografar a torcida nesta partida, que ocorreria em Guaratinguetá - também publiquei algo aqui. Uma apertada vitória de 2x1 garantiu o retorno do time para a Série A1 do Paulistão após 6 anos. Este foi o último jogo do Marília em que havia ido, e, ao longo de 2015 e 2016, se tornou a última vitória da equipe, ambos até a tarde deste Santo André x MAC. 

Nenhum comentário: