sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Meu amigo Artur.


Breve relato de José Gomes Neto - XXVI: 


"Quando garoto morava em um bairro onde havia bastante molecada, e nós sempre brincávamos em um terreno baldio. Havia um garoto chamado Artur, que tinha dois apelidos "Tuco", como era chamado pela mãe e a maioria da molecada, e "Pei", esse mais maldoso: Artur nunca dizia "peido", falava "pum", mas às vezes dizia "pei" e rapidamente se corrigia, dizendo "pum". Não me recordo quem foi que começou a o chamar de "Pei". Certo dia um novo garoto chegou para morar no bairro e entrar pra turma. Se chamava Artur, e era chamado pela família como Tuco. Resolvemos o assunto de dois nomes e apelidos iguais da forma mais simples possível: o segundo Artur se tornou o Tuco oficial, e o primeiro se tornou o "Peituco". Algum tempo depois a vida deu outra solução pro assunto dos apelidos: Peituco foi atropelado, e o bairro ficou mais triste. Sempre tive saudade do Peituco".

José Gomes Neto,
12 de Outubro de 2006,
Saudades Pei Tuco.



Nenhum comentário: