sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

deus Debocha - III.


Já faz quase cinco anos que eu escrevi sobre isso (e isso), mas a sensação sempre retorna: deus Debocha, de mim (de você e de nós). Seja quando rola aquela sessão de malcriaçãozinha, ou aquela sessão de nostalgiazinha, ou até naquela revisitação crítica a um momento de festa. Pois não é que ultimamente, no joguete divertido do rapazolão dono de todas as coisas, ele cismou de me colocar do outro lado do muro em situações semelhantes à vividas em outrora? Olho para as coisas que estão acontecendo, meço bem as problemáticas em voga e percebo: "desgramado, ele tá repetindo a situação, mas agora eu estou do outro lado na coisa". É como se o deusgraçado estivesse dizendo: "vai lá papudão, você reclamou pra caramba de como agiram contigo, e agora, agirá como?". deus Debocha demais, talvez seja uma mensagem dele para que eu funde a Igreja Debochionista do Sétimo Dia de Todos os Dias.

Ps: eu não acredito em deus, se as coisas estão aparentemente sendo semelhantes, e eu estou do outro lado, é sinal de que a variação na vida tem sido pouca, mas ao menos alguma movimentação minha tem ocorrido nessa palhaçada toda, e agora estou 'do outro lado'.


Nenhum comentário: