sexta-feira, 3 de julho de 2015

Nascos Telas.


Breve relato de José Gomes Neto - XXVIII:

"Era dia de festa, e havíamos combinado de não passarmos da conta, de não chegarmos perto da conta, e de apenas festejarmos. Segundo a matemática exata que não dialoga com outros saberes, 1+1 será sempre 2, assim como unir uma cabeça desajustada a uma alma descontrolada representou, naquele dia de festa, o não cumprimento do combinado. Ficou tarde e estávamos ambos com as cabeças cheias de contas passadas, e, dado momento, o metrô realizou uma de suas paradas. Naquele instante os pés dela começaram a realizar um exercício à lá sparring nascos telas do meu corpo. Inicialmente, na primeira sparringada, eu não entendi o que era aquilo, na segunda compreendi, na terceira segurei os pés e antes do início da quarta repreendi a ideia que ganhava forma e causava dor. Deveria ter aproveitado a pausa prolongada da parada do vagão na estação e descido por ali mesmo, teria evitado todos os pares de meses seguidos sendo objeto para sparring".

José Gomes Neto,
01 de Setembro de 2013,
Saco de pancadas.





Nenhum comentário: