segunda-feira, 27 de julho de 2015

Fragmento - XIII.


[ou: "Diz equilíbrio"].
Ninguém nunca questionou o equilíbrio ou a falta deste no outro ou a necessidade de alcançá-lo por que sim ou ficamos floreando sobre "nossa como somos equilibrados e como isso é bom óh humanidade nos tome como exemplo". Acho que o equilíbrio era tamanho, tão bem dosado, que nem dava tempo de ficar preocupado com essas coisas metalinguísticas. O tempo era preenchido vivenciando esta qualidade coletiva, o que consistia em saboreação mútua, claro, do tal equilíbrio. Demorei pra perceber que aquilo era sinônimo de equilíbrio. Por um tempo, na verdade, me vi desejoso daquilo como um referencial de desequilíbrio, o que o tornava atraente. Mas ao entendê-lo como equilíbrio passei a vê-lo, justamente, como creme saboroso a ser reconstruído. Dai eu olho no espelho e digo: "diz equilíbrio", e é tudo mais falso que pobre que se diz de direita.


Nenhum comentário: