sábado, 25 de julho de 2015

Fragmento - XII.


[Ou: "Afa Xina"].
Lembro que um dos caras mais bacanas que eu conheci naquele período chegou tarde da noite aquele dia, o que era estranho, ele sempre estava entre os primeiros. Falou que estava em outro evento, que combinava mais com suas preferências musicais e vitais. Justo. Correto. Certíssimo. Ele chegou e pediu uma raiquenem, disse que onde estava tinha apenas uma outra cerveja muito ruim de nome inominável e indizível nesta página. Lembro-me até hoje dele rindo e passando a mão do seu pescoço até a sua barriga e dizendo: "preciso dar uma limpada depois de passar a noite bebendo aquilo", fazendo uma careta característica para falar o nome d'aquilo. Olho em volta e vejo aquilo; fecho o documento de texto pois vejo aquilo demais; converso com amigos e amigas do peito e só falo daquilo; durmo, sonho, acordo, levanto, retorno a dormir, torno a sonhar e é só aquilo passeando pela cabeça. Eu preciso dar uma limpada, passou da hora da faxina, Gabriel, vai tomar suas rainequem.



Nenhum comentário: