quinta-feira, 23 de julho de 2015

Fragmento - XI.


Eu estava apoiado na janela, junto de mais três pessoas. A idade de uma delas fazia com que a média etária daquela rodinha subisse uns dez ou quinze anos. Naquela época eu estava ainda assombrado pela proximidade do passado recente, e quando essa rapaziada começou a tecer comentários maldosos sobre terceiros e a sobrevalorizar os seus pares me lembrei de sujeitos com os quais estive em rodinhas no à época "passado recente". Nenhum desses tem uma janela daquelas, isso é: naquela cidade, naquele bairro, com aquele preço de aluguel, aquele preço de condomínio, aquele custo de vida, aquela padaria outro lado da rua. Nenhum desses rivaliza posições em um ambiente extremamente hierarquizado e polarizado e insalubre; nenhum desses em nenhuma daquelas rodinhas investia o tempo sacro da cabeça bem moldada em listar ozinimigos e os depreciar. Você nunca lerá os nomes deles nos jornais. Mas tem uma coisa, na verdade várias, e os adjetivos estão espalhados por este fragmento, e eu sei que vocês entenderam que eu estou falando dos meus referências vidográficos de prestígio e conduta.




Nenhum comentário: