sábado, 11 de julho de 2015

Fragmento - VI.


Eu gosto de acordar e ver as atualizações que o celular indica - que, em tempos de vida social amorfa, são poucas. Então me levanto da cama, faço uma série de alongamentos musculares no peito (pois tenho dores no peito, dentre outras coisas) e vou ao banheiro, onde urino e escovo os dentes. Gosto de ir até a cozinha e, antes de qualquer coisa, tomar meio litro de água em temperatura ambiente. Me agrada sentir a boca seca se reidratando, assim como gosto muito da sensação do esôfago e do estômago sendo recobertos pela água; gosto de perceber a água semi gélida descendo pelos dutos secos do meu sistema digestivo e os abrindo para mais um dia. Então vejo se tem pão, e o preparo de acordo com as possibilidades: se tem frios, vai frios, se tem margarina, vai margarina, se tem requeijão, vai requeijão; em geral acho bom que não tenha faltado pão ou algo para acompanhá-lo. Dai como o pão, tomo mais meio litro de água e faço ou requento um café ou preparo uma xícara de café solúvel; em ambos coloco um pouco de leite (pra não atacar o estômago). Enquanto tomo o primeiro café do dia gosto de fazer algo contemplativo, como ler algo tranquilo ou me atualizar de acontecimentos recentes por meio do meu celular; ou fazer algo criativo, como criar um Miltinho ou escrever algum texto sem pé nem cabeça, ou mexer em fotos. Em geral gosto de passar as duas primeiras horas do dia fazendo isso: me entupindo de café e lendo alguma coisa ou criando alguma outra coisa junto do café. Me entupo de café até os intestinos, bombardeados por um litro de água e alguns mililitros de cafeína e leite, indicarem que, como diziam os Teletubies, é hora de dar tchau. Então, retorno ao banheiro, passo uma dezena de minutos felizes, e me dirijo para o ambiente onde trabalho (que, dependendo da casa onde eu esteja, varia de lugar). Ligo o computador ou pego o livro da vez e procuro ter foco para o trabalho; em geral esse momento dura três horas, período em que sigo me entupindo de café. 
O que quero demonstrar com esse fragmento? Que meu processo de funcionamento intelectual está intimamente ligado ao meu processo de criação fecal.



Nenhum comentário: