sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Teu filho é teu cu.


Teu filho é teu cu. Teu filho é teu cu. Teu filho é teu cu. Teu filho é teu cu. Teu filho é teu cu. Teu filho é teu cu. Teu filho é teu cu. Teu filho é teu cu. Teu filho é teu cu. Teu filho é teu cu.

Eu jamais diria que aquele veículo era desconfortável. Pelo contrário, era confortável e foi um pecado tê-lo sujado. Aliás, acho que eu jamais poderei dizer que ele era 100% confortável, uma vez que eu não sei dirigir. Em termos de carros, eu entro, se tiver alguém guiando, iremos para algum lugar, se a responsabilidade de guiar for minha, bem, o carro seguirá parado. Por isso não posso dizer que nenhum carro é 100% confortável. Houve uma vez que foi uma vez bem específica, mas, talvez, pro carro, tenha sido só mais uma vez. Foi específica, pois desconfortável. Foi a unica vez em que o carro foi ocupado por aqueles, digamos, três elementos. Não dá pra dizer que eram sólidos, tampouco líquidos, menos ainda que eram vapores livres, e também não poderiam ser reduzidos à pó; na verdade, era 12,5% de cada, e o restante (os outros 50% de cada um) era algum tipo de matéria bem viva que sempre está conosco até a morte. Havia um rapaz meio revoltado no carro, contava uma história e, não sei se entendi errado, mas parecia que cobrava os demais presentes por algo que não sabíamos o que - ou eu não sabia o que. Era uma história bem passada ("carne sem sanguinho", em linguagem educativa carnívora para crianças), que como raio em copa de árvore velha, rachou uma galera em mil pedacinhos perdidos na cidade. Depois causou um tremor de grandes proporções e desbarrancou todo um lar (daqueles que é nome de linha de ônibus). Não entendia do que se tratava, não entendia mesmo (talvez a minha matéria viva ali fosse só de uns 30 ou 20%). E me recordo apenas do rapaz repetindo que havia repetido várias vezes:

Teu filho é teu cu. Teu filho é teu cu. Teu filho é teu cu. Teu filho é teu cu. Teu filho é teu cu. Teu filho é teu cu. Teu filho é teu cu. Teu filho é teu cu. Teu filho é teu cu. Teu filho é teu cu.


Nenhum comentário: