terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Corre! - em 4 partes.


Parte 1:

-Cooooorre, corre!
-Oi? - pergunta, mas corre.
-Não corre, calma caralho, calma, não corre!
-Oi? - para e caminha.
-Calma rapaziada.

BUM

Sai correndo.
-Corre! Calma, calma!
-Mas é pra ter calma ou pra correr?
-Você é livre pra escolher - coçam as nucas, ambos.
-Mas tudo faz um pouco mal, você não acha?
-Claro. Correr ou ficar parado, cada uma das escolhas faz mal. 
-Uma prum lado, outra por outro. 
-Isso.
-Agora, por que você acha que uma faz menos mal que a outra?
-Não é que eu acho isso, mas uma me diz mais respeito que a outra.
-Assim, assim?
-Não assim.
-Então como?
-Uma eu aceito por que todo mundo aceita. Outra eu temo.
-E por que?
-Por que... como não temer?

CLICK

-É. Deixa quieto. A hierarquização já foi feita. Melhor correr mesmo.
-Correr?
-É?
-Cooorreeee! Corre! Não, calma! Gente, calma.

Parte 2:
Um dia desses eu estava batendo boca. Na verdade era só uma conversa mais áspera ou ríspida. Não sei como defini-la. Meu interlocutor falava coisas que já ouvi muitas vezes sendo dita por ele e outros e outras e outrens diversos. Na verdade, às vezes enche o saco. 
E ai teve outro dia que eu vivi um encontro espantoso. Realmente não esperava que acontecesse aquilo naquele dia, ou em qualquer outro. Foi encontro não calculado, não planejado. E foi bom. Foi um encontro muito bom, embora eu tenha revelado: "faz tanto tempo que eu estou ouvindo as mesmas promessas de um mundo, uma vida etcs. Isso nunca vai chegar?", e isso tenha causado o famoso climão.
Mas ai voltando à primeira conversa desta parte II, ai eu virei e simplesmente disse: "todo dia eu acordo e dedico os cinco primeiros minutos do meu despertar em questionar o que que eu estou fazendo da minha vida. Todo santo dia".
Ai rolou climão também. E eu achei melhor dizer que estava atrasado e sair correndo mesmo.

Parte 3:
Invasão.
  Decepção.
    Repetição.
      Chateação.
        Só sensação.
          Negativa.
            Findada em ão.
              Corrimão.
                 Corridão.
                   Corre irmão.
                      Correntão.
Parte 4:
Ou "a sensação final mais sincera sonora respondida sem rodeios no exercício de dentro pra fora e de fora pra dentro e isso ai mesmo, talvez o melhor seja correr mesmo":




Nenhum comentário: