quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Pinocchio Ltda.


Foi em 2007, eu assistia televisão na sala de casa e parei em um canal de videoclipes, talvez tenha sido na Mtv, que deus a tenha. Passava um compilado de imagens muito bem filmadas que dava vida visual a uma música do Evanescense. Nunca gostei da banda ou do estilo, mas fiquei o vendo. O videoclipe e a música falavam sobre mentiras, de um modo bem básico e direto: a moça chorava e esperneava enquanto a música ecoava versos e refrões sobre o tema, pois tudo no mundo é uma mentira, não se iluda, é mentira, é falso, é tudo falso, uma grande mentira, uma enorme enganação; a ideia era essa. Meu pai apareceu por lá, e ficou vendo o tal videoclipe. Não se furtou, claro, de fazer um comentário extremamente crítico àquela peça. Claro que eu não lembro as palavras que ele disse, faz sete anos isso, mas foi algo como: "sabe, não sei a quem interessa ficar enfiando na cabeça dos adolescentes que nada presta, que está tudo errado; parece que tem uma indústria que quer fabricar a ideia de que é tudo errado e ruim, que nada presta no mundo". Sei lá se existe essa industria, e se existir, devo dizer, eu sou mais um produto dela, por que os anos passam, e eu ainda acho tudo uma mentira, uma pinocchisse absurda, um saco, e calculo as enganações sem fim que circulam por ai, nos discursos, nas práticas, nos ônibus, nos formulários, nos remédios etc.


Nenhum comentário: