quinta-feira, 3 de julho de 2014

Perdendo Ônibus.


Considerações preliminares:
1) no título, "ônibus" está no plural.
2) em São Paulo se pode pagar o uso de transporte público com um cartão chamado "bilhete único": você coloca créditos nele e o valida nas catracas de ônibus, metrô, trem. O bilhete único permite que você pegue, por exemplo, quatro ônibus em um período de duas horas, pagando apenas uma passagem.

Com este advento do bilhete único, mantenho o hábito de, sempre que estou em um ônibus, ficar espiando os ônibus que vem atrás, caso veja um que faça um caminho que julgo melhor do que aquele em que estou, desço no ponto seguinte e embarco naquele que vem atrás.
Infelizmente não é sempre que isso dá certo.
Certa vez, bem acompanhado, sugeri que descêssemos do ônibus em que estávamos para subir no que vinha atrás e, tão logo pisamos na calçada, este passou - rápido como um raio - avenida em diante, sem parar no ponto que, até o nosso desembarque, estava vazio.
O que era para adiantar a viagem, acabou por nos atrasar mais ainda.
Minha companhia comentou: "Gabriel, você tem que ter um foco nos seus caminhos, se você está em um ônibus, e escolheu fazer um caminho, não adianta ficar trocando no meio do caminho que pode dar errado, igual deu agora".
Talvez esta seja a melhor metáfora pra forma como venho encarando a minha vida em São Paulo, planejada como caminho seguro, mas negada em palavras ríspidas - sempre com os olhos voltados pralgum outro ônibus, que pode passar em alguma região com menos trânsito, ou fazer algum caminho mais curto. 



Nenhum comentário: