quarta-feira, 30 de julho de 2014

Às vezes você simplesmente não ri.


Quem me conhece, ou convive comigo, ou já conviveu, ou já passou alguns minutos perto de mim, ou me lê aqui ou coisa do gênero, conhece uma das minhas características favoritas de mim em mim mesmo: eu faço piada. Não importa se boa, se ruim, se com sentido, se sem sentido, o meu raciocínio todo se baseia em fazer piadas, sempre.
Lá em meados de 2010 a porca da minha cabeça deu uma torcida forte no rabo, parecia um nó cego (desafio para qualquer escoteiro), e eu precisei recorrer à psiquiatra, anti depressivo, essas coisas. Em momento algum parei de fazer piadas, só que, não foram raras as situações em que eu fazia as piadas, mas não ria. Os outros riam, e era legal assim.
Certa vez, em uma mesa de bar, um amigo veio encher meu copo com cerveja, eu estava na coca-cola, e falei a ele que não estava bebendo, ao ser questionado por que, falei que estava tomando um anti depressivo, que não podia misturar com bebida. Assustado, incrédulo, ele questionou: "mas cara, você é todo bom humor, todo cheio de fazer piadas, como que um cara como você precisa tomar antidepressivo?".
A resposta é simples, às vezes você não ri. Às vezes, simplesmente, você não quer rir, embora faça os outros o fazerem.

Não é exagero, não é comoção momentânea lhes dizer que o 'Hermes & Renato' foi importantíssimo para essa formação do meu caráter e cotidianos ironicamente metido às graças e piadas. Também não é exagero dizer que fiquei muito chateado com a notícia da morte de Fausto Fanti (pelas primeiras notícias que leio, um suicídio por sufocamento utilizando um cinto).
É pesado pensar que o cara em quem me espelhei durante o fim da infância e toda adolescência (alcançando até este esboço de adultescência) para olhar o mundo com mais sarro tenha encerrado sua trajetória desta maneira. 
No entanto, às vezes você simplesmente não ri.



Um comentário:

Anônimo disse...

Porra cara, aguentei até hoje, mas tive que chorar, Fausto fará falta, msm não o conhecendo pessoalmente, ele fez parte msm da nossa infância/adolescência, que hoje perde um pouco de sentido, e o que devemos fazer é chorar, mas ele ta ai ainda com a gente, fez o trabalho dele, muito bem, e deve ser lembrado por isso! Grande profissional e amante da arte do Humor!