quinta-feira, 26 de junho de 2014

Rápido, como as roupas.


Breve relato de José Gomes Neto - XXI:

"Havia prometido um café, e a água já indicava alguma vontade de fervura quando chegou. Abri a porta, entrou sorrateira. Já com a caneca de água na mão, falei: "espera um segundo que vou passar o café". Respondeu que não queria café, e notei que tentava se desvencilhar do punho e lado direito da jaqueta. Apenas despejei a água quente por cima do pó marrom, coloquei a caneca na pia e, quando me virei - alguns segundos depois - estava já completamente sem roupas. Futuramente eu me sentiria tão rapidamente despido quanto aquelas roupas".

José Gomes Neto,
2 de Dezembro de 2009,
Pelado no frio.


Nenhum comentário: