sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Quando chegares ao céu...



...olhará fundo nos olhos do criador, sem temor, respeito ou consciência alguma. Com toda a sua petulância, e uma dose requintada do seu melhor pedantismo, marcas registradas de sua chateante passagem pela vida terrena, olhará tudo à sua volta sem pronunciar um único vocábulo ou emitir qualquer tipo de ruído, apenas observará, não dirá como está achando tudo aquilo muito ruim, muito errado, muito malfeito. Comunicará sua opinião depreciativa e rejeitante sobre aquele lugar todo, apenas por uma dobradura labial e uma erguida desprestigiante de sobrancelha. O criador, que ainda aguarda vossa atenção para proclamar o respectivo destino eterno daquela alma, apenas a observa. Antes que este se pronuncie, entretanto, tornará a olhar profundamente nos olhos Dele, e, então, dirá - sem temor, respeito, consciência e repleta de pedantismo e petulância: "você realmente não sabe fazer nada direito hein? seu bosta! me deixou todos esses anos na terra e não aprendeu que o jeito certo de fazer as coisas é o meu? credo, vê se cresce". 

Pedante, intrometida, desrespeitosa, incompreensiva, invasiva, preconceituosa e cagadora de regras, "assim na terra, como no céu".


Nenhum comentário: