quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Carnificinas de Paixão - Um.


Mil poemas,
Eu vou escrever.
Apenas somente,
Sobre você.

Vinte e cinco folhas,
Sobre tuas unhas.
Trezentos versos sobre,
Seus olhares diversos.

Dez cadernos,
Sobre o teu ciso.
E outros oito,
Pro teu sorriso.

Vou os declamar,
Em alto e bom tom.
De pé aos berros,
No meio da rua.

Vinte cantigas,
Vou cantarolar.
Das tuas belezas,
Óh, saborear.

Vermelho na pele,
Eu vou tatuar.
Esse teu nome,
Que quero gritar.

Vou me acorrentar,
No portão da tua casa.
Com a camiseta,

Solta a corrente,
Liberta o meu corpo.
Me dá a porta,
Do teu coração.

Você vai ser,
Minha carnificina de paixão.
Vou assinar uma,
Chacina de amor com seu coração.

______________________________
[versos meus que foram musicados junto com o Pelego, logo, parte do processo de criação do Zababô Zebrinha: somos todos carniceiros de paixões?].


Nenhum comentário: