domingo, 10 de março de 2013

Nem sempre é verdade.

Breve relato de José Gomes Neto - VII.

"Caminhei até o banco mais próximo de casa, era sábado, começo de noite, e neguei uma saída com amigos alegando não ter dinheiro; caminhei até o banco pois queria ter certeza disso. Aliás, caminhei até o banco torcendo para estar errado quanto a isso, infelizmente, eu estava certo: havia R$1,47 em minha conta, o pagamento cairia apenas na terça feira e o depósito provisionado estava indisponível para saque ou débito. Ao sair cabisbaixo do setor de caixas eletrônicos daquela agência, e estar novamente na calçada, uma senhora me abordou: "moço, me dá um dinheiro?". Sem drama disse apenas que não tinha, ao que ela me questionou: "mas se você tá saindo do banco, é por que tem dinheiro". 
Não deixava de ser verdade, mas, ocasionalmente, na noite daquele sábado, 4 de Agosto, fazia nem sempre ser verdade".

José Gomes Neto,
6 de Agosto de 2011,
Duro.



Nenhum comentário: