quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Plano Ilimitado.

A atendente da loja de uma operadora de celulares olha para mim sem empolgação ou desmerecimento - "é apenas mais um cliente", deve pensar - quando entro nesta loja pela segunda vez nesta tarde. Me aproximo do balcão e ela diz, fingindo algum pesar:
-Putz, se você voltou aqui acho que não deu certo o desbloqueio na outra loja.
Com os olhos semi cerrados, e apertando a boina com força na mão esquerda, lhe respondo:
-Na verdade deu certo, eu voltei aqui pois me apaixonei por você. A forma como você me atendeu quando vim aqui, a forma como manuseou o aparelho celular, a forma como me ofereceu um chip de outra operadora. Tudo isso me encantou, eu estou apaixonado e voltei para te dizer isso.
Ela se desconcerta, a postura rígida (de quem acredita ter algum poder por estar atrás de um balcão) é trocada por uma postura mole de quem fora surpreendida no coração. Tentando retomar a dureza e seriedade no atendimento ao cliente, questionou ainda sorridente:
-Mesmo?
Coloquei a boina de volta na cabeça, a ajeitei segurando pela aba e disse:
-Mesmo um caralho! Essa empresa é uma merda, o cara da outra loja me tratou mau pra cacete, me deixou mais irritado ainda! E se vocês não desbloquearem essa porra desse celular eu vou baixar a bermuda e cagar no meio dessa loja agora!

Meu celular não foi desbloqueado: mas eu fui deslocado do interior da loja, para o exterior do shopping.


Um comentário:

Alex Arbarotti disse...

cara, na boa! muito genial! divertido.