domingo, 19 de agosto de 2012

Não sei.

Perambulando pela festa me sentei. Encontrei uma mesa sem nenhum ser humano ocupando qualquer cadeira. E me sentei.
Confesso que me recordei do Bukowski (e de certa camiseta Bukowskiana). Sentado eu estava, e puxei o caderninho do bolso. Puxei a caneta também.
"O Bukowski cagaria nesse luxo todo", pensei. E cagaria também nessa música de merda. Uma bosta. A bebida é boa, enfim.
Os sentimentos também. Certo? São sentimentos? Pode ser. Eu acho.
Coloquei o copo ao lado, o troquei pela caneta e este caderninho. 
A única pessoa simpática da festa - das que eu não conheço - não é simpática. É fanática, (palavra que não consegui entender) e policêntrica. Credo.
"Mais bebida Buk".
Me perdoem, deixo a mesa para trás. Deixarei. E volto pro agito tosco dos troxas que se sacodem com a música ruim. Só me divirto pelas minhas amadas. Só com elas.

Ps: entre uma frase e outra, a caneta escapou, e manchei a toalha branca com tinta azul. Foda-se. Aqui é escrita demente e constante e, por favor, não me interrompam. Na próxima.


Nenhum comentário: