domingo, 4 de março de 2012

Um domingo infernal.


Foi no ano de 2010, precisamente na segunda metade de Setembro.
Meu tratamento seguia o seu curso - seria boa metáfora chamá-lo de 'quimioterapia', mas o dotaria de um peso que não me atrevo a cravar. E então, chegamos àquele domingo, conseqüência lógica deste sábado.
Pequenos e medíocres desesperos fizeram com que o telefone fosse tirado do gancho, transformando-o em ácido sulfúrico, forca de cabo de aço ou quaisquer elementos e/ou instrumentos sufocantes que travem garganta e respiração.
Era domingo, e se tornou infernal.
Precisei sair de casa: hora do almoço, sol tenebroso e tremores no corpo. Era em Coca-Cola, apenas, no que eu podia acreditar para regar, refrescar e acompanhar o goela abaixo de partes pilulosas alheias ao citado tratamento.
Sentado em canteiro central transformado em pracinha.
Voltei para casa (mais Coca-Cola na sacola) o dia estava bem quente, o chuveiro no modo desligado, a água gelada e esta trilha sonora. Ajoelhado nos sujos azulejos cor de creme, com a água fria arrebentando nas costas e nuca, gritava um dos elementares versos da canção: quando eu estiver desprevenido, volta e acaba comigo: lembra como você era boa nisso?
Aquela tarde existiu, de alguma forma que não me recordo como. Se teve jogo, se dormi, se desenhei, se estudei, se escrevi, se, se, se. Ela existiu, e isso é tudo que eu lembro da tarde.
A noite veio, e as machadadas sufocantes não paravam. Mais Coca-Cola, outra trilha sonora, cantada em berros silenciados no travesseiro sem fronha - pois já era noite.
Não vou mais tentar fingir ser forte e sorrir quando nada mais me satisfaz.
Foi nesta precisa hora que eu percebi, que talvez fosse interessante descobrir se os elementos acompanhados de Coca-Cola, devorados debaixo do forte sol do meio dia, poderiam se colidir com os outros ingeridos diariamente há quase dois meses - mencionados aqui como 'tratamento'.
E apenas consegui dormir após saber que, tudo bem, este dia 19 não acabaria com minha morte, por nenhuma das asfixias possíveis e imagináveis dentre todas as infernalidades vividas naquelas horas.



Um comentário: