segunda-feira, 12 de março de 2012

Anedota sobre o Dia Intergalático da Mulher.

Estávamos em uma pequena espaçonave, três homens, eu ocupava o banco de trás. Um dos outros dois - que não era o que operava os botões do veículo interespacial - subiria em um palanque, empunharia um instrumento de cordas de venus e cantaria belas canções marcianas mais tarde.
No caminho que percorríamos, de repente, uma lentidão improvável nos fez, praticamente, estacionar no espaço. Após alguns instantes nesta situação, as naves à nossa frente, e a que utilizávamos, voltaram a flutuar em suas rotas costumeiras.
Compreendemos a lentidão quando passamos por um pequeno foguete que era manobrado, e que, temporariamente, ocupou largo espaço entre estrelas durante o processo de manobra, causando a improvável lentidão.
O rapaz que viajava no banco do carona da espaçonave, notou se tratar de uma mulher ao volante, e comentou aos risos: "é sempre mulher né?", tendo como resposta o silêncio dos demais ocupantes da espaçonave.
Mais tarde, com o megafone saturniano em punhos, entre uma e outra canção (as quais eu realmente gostei), o rapaz (que era da terra mesmo) fez breve comentário sobre o Dia Intergalático da Mulher, engrandecendo-as e valorizando-as.

Nenhum comentário: