quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Amigos das antigas.


Em 6 de Setembro de 2010 publiquei aqui no blogue o texto "Amigos", sobre as saudades que sinto dos amigos paulistanos enquanto toco minha existência no interior. Neste texto o Alex comentou que: "Chegará o dia em que seremos amigos das antigas. E assim a vida vai".

Na primeira sexta feira de Fevereiro deste 2012, peguei uma carona com destino à Barretos, com o intuito de chegar nesta cidade à tempo de celebrar o aniversário do Pedro sem atrasos - se descontarmos o horário de verão, podemos dizer que isso ocorreu. Havia também o intuito de passar o sábado conhecendo esta cidade e, no domingo (bem cedinho), tomar rumo para Ribeirão Preto, com destino final em Sertãozinho, para celebrar - com atrasos - o aniversário do Alex, redator do comentário que conecta este final de semana no norte paulista com as nossas vidas, em sentido amplo, geral e (por que não) irrestrito.

O Pedro e o Alex são dois dos grandes amigos que vivi neste período de faculdade. Juntos fizemos centenas de vídeos instrutivos (de dicas de beleza à exageros alcoólicos, passando pela biografia de Malinowski e apontamentos sugestivos sobre o curso), criamos e demos cabo de um Grupo Político Organizado (Pero No Mucho), imprimimos e colamos dezenas de cartazes sobre assuntos distintos (de manifestos mequetrefes à informes de eventos), viajamos algumas vezes, nos encontramos outras tantas etc.
Este preciso momento do início de 2012 envolve o "ir cada um para um lado", sacramentado com abraços na rodoviária de Ribeirão Preto na tarde da primeira segunda feira de Fevereiro - abraços que durarão até o próximo encontro nalgum bistrô em Paris, em qualquer boteco no Brasil, show, casa acadêmica, festa literária, estádio de futebol, congresso etc em que façamos nossos futuros se encontrarem.

Dialogando com aquele comentário do Alex, nossas vidas atuais, que nos colocam iminentemente como amigos das antigas, a quilômetros de distância (e de lembranças) acabaram de começar.

Um beijo, um abraço e um toque de mão molenga para os dois.

3 comentários:

marise disse...

É muito bom ter amigos assim!
Beijo aos três.

Alex Arbarotti disse...

O melhor de tudo é saber que os amigos das antigas podem ser considerados amigos para sempre!

Um puta abraço.
Saudades pelos cotovelos!

pedro meinberg disse...

meu caro...

emocionei ao lembrar de tanta coisa que fizemos, para além das realizações! afinal de contas, não fizemos apenas vídeos, um grupo político e etc; construímos a nossa amizade, construímos outras amizades, fizemos as pessoas rirem, chorarem, desistirem do curso (com o vídeo para a feira, rs), estudar malinowski ou desencanar dele, rs... promovemos encontros, afetos...

essas coisas são lindas demais...

forte abraço, meu amigo!!