quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Dia de Feirados.

Sai de casa pela manhã para ir até a faculdade, em pleno feriado do dia dos mortos. No meio de meu caminho, estava ele, o point do dia de hoje: o Cemitério.
Na ida fui surpreendido com uma senhora e um senhor vendendo melancias e abacaxis ali próximo, mas rapidamente me acostumei com a ideia, afinal, estava quente, e qualquer uma das frutas reidrata que é uma beleza. Adiante flores e velas eram vendidas nas calçadas da frente e oposta ao cemitério, eu caminhava por esta última, e pude notar ocorrer uma grande festa do outro lado.
Na volta, observando aquela grande festa que ocorria, resolvi ir caminhando pela calçada do cemitério. A surpresa foi maior ainda: deparei-me não com uma festa, mas sim com uma grande feira!
Tão logo iniciei o trajeto rente ao muro, um garoto perguntou se eu queria comprar paçoca, mais pra frente me ofereceram pamonhas (doces, salgadas e temperadas), surgiram então as pipocas; uma senhora tinha uma pequena estufa montada em uma mesa plástica, na qual vendia coxinhas, risolis, esfirra e refrigerantes. Obviamente que o icegurt - que tem mantido espiões no mundo todo - estava lá também com seus deliciosos e refrescantes sabores.
Passado o quarteirão que o cemitério ocupa, fui atravessar a rua posterior a ele, que estava interditada com cavaletes de madeira. Então tive a certeza de que se tratava do Dia de Feirados, quando vi estacionados nesta rua as barracas de pastel!

Um comentário:

pedro meinberg disse...

acho que eu compraria bolinhas de queijo.