quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Analógico x Digital.

Ultimamente tenho pensado bastante nas coisas que vivo observando-as sob estas designações: o analógico, e o digital. Algo como coisas opostas, quase como antíteses, talvez como superações, negações; não sei ao certo. Polaridades opostas?
Diga-se de passagem, não tenho o conhecimento técnico científico para dizer com todas as letras o que difere a tecnologia analógica da digital, quais os sistemas, as ligações, as diferenças de chips, de fontes de energias, de expansão de sons, imagens, cores etc.
Enfim, não sei precisar o que diferencia teoricamente analógico de digital, mas sei que há uma diferença prática, que vivo no dia a dia.
Pelo que entendo desta existência prática de coisas analógicas e digitais em minha casa, a TV e a vitrola são exemplares dos tais analógicos, e o computador e o dvd dos tais digitais.
Pois bem, na noite desta quarta feira cheguei em casa por volta das dez e quinze da noite, e liguei a TV, no preciso momento em que o time porco tomava o segundo gol do botafogo, e o time sardinha tomava o segundo gol do internacional. Minha televisão, de tão analógica que é, está com um dos canais de cor queimado, de modo que o tom da tela é predominantemente rosa.
Sentei-me na poltrona de frente para ela, com o computador no colo, e deixei-a sintonizada na derrota porca. Dado momento decidi mudar para o jogo sardinha, e, em vez de pegar o controle remoto e digitar o número do outro canal, simplesmente apertei a combinação Alt + Tab, e o canal não mudou. Repeti a operação, e então percebi o que fazia.
Mais tarde, pouco antes do time porco tomar o terceiro gol, ouvia na vitrola um disco do Bach, recém comprado, e seguia com o computador no colo [note bem: três coisas ao mesmo tempo]. O som estava muito alto, e decidi por abaixar um pouco, e o fiz colocando o comando de volume do Lep Top o mais baixo possível. O som não mudou, e então percebi o que fazia.
Confuso, decidi desligar televisão, vitrola, computador e viver o mais humano dos sistemas de comunicação, além de qualquer fonte ou retransmissão de energia elétrica. Até o momento em que dei Alt + F4 nas janelas do dia, e me foquei em colocar o meu sistema operacional para hibernar: como foi bom dormir.