sábado, 12 de março de 2011

Um dia em que minha vida mudou...

Foi em 2008, posso estar equivocado, mas acredito que foi em meados de junho, ou mesmo agosto deste ano. Era uma quinta feira, disto tenho certeza, e me recordo que fazia frio: eu dormia com um cobertor por cima do edredom por cima do lençol por cima do pijama por cima de mim por cima de outro cobertor por cima de outro lençol por cima do colchão por cima do chão. É, estava frio.
Certo momento da noite senti uma coceira no barbado rosto, na região do zigomático, e cocei; a coceira mudou-se para a região da bochecha (não me lembro ao certo qual das duas); e, por fim, passou pela boca. Foi neste momento em que eu acordei dando-me um leve [e breve] tapa na região labial.
Sentei no colchão assustado, procurei o celular e apertei qualquer botão que fizesse a luz dele acender. Foi então que eu vi, caminhando em minha perna uma barata. Tão simpática, me beijou!
Após ficar puto, assustado, saculejante por sobre o colchão, o animal foi assassinado com toda a raiva e brutalidade do mundo.
Lavei o rosto na pia do banheiro, com muito sabão e nojo; escovei os dentes (quem me garante que o inseto não deu um rolê dentro da boca?) e não consegui mais dormir.
E deste dia em diante, sempre que me deito para dormir demoro para conseguir fazê-lo, pois a qualquer ruído ao meu redor rapidamente acendo um abajur ou mesmo celular para verificar se não receberei outro beijo de amor de uma barata ou outro animal nojento qualquer; por isso que eu digo que este foi um dia em que minha vida mudou...
Sempre perco alguns minutos de sono verificando
o ambiente.

5 comentários:

marise disse...

Realmente uma experiência um tanto nojenta!
beijo

Marina disse...

"receberei outro beijo de amor de uma barata ou outro animal nojento qualquer"
Defina animal nojento qualquer...

Gabriel Coiso disse...

moscas, besouros, taturanas, aranhas [estes tem minha especial repugnância], ratos, lagartos, cobras [sim, às vezes acordo certo de que há uma cobra em meu quarto] e outros do gênero dos mosquitos e aracnídeos.

Carla Maria disse...

...só pra confirmar, por acaso esse episódio fatídico ocorreu em terras marilienses? o.O

Gabriel Coiso disse...

naturalmente que sim carlitxa, no caso, foi no meu primeiro ano; curiosamente, foi num dia em que haviamos feito uma faxina gigante lá em casa.