terça-feira, 25 de agosto de 2009

Esqueci o termo.

A partir da proposta inicial deste blog, a pouco mais de um ano atrás, a idéia era escrever pela necessidade crucial (e por vezes dolorosa) de colocar para fora a imensidão de letrinhas e palavrinhas que me entpome o cérebro. Pontos da cotidianeidade, incomodos tão comuns, acontecimentos e etc.
Hoje, diante desta página em branco do 'blogspot', além de não lembrar a palavra, talvez uma figura de linguagem que se usa quando se estuda, analisa sobre aquilo que se faz (que tem referência física com aquilo de ter um espelho na frente do outro). Eu percebi, que a velocidade e a enorme contingência de fatos que tem se acotovelado nos dias de minha vida, mesmo naqueles em que permaneço estático, eu precisaria de uns quatro pares de olhos, pares de corpos, e de una três blogs para conseguir contar, para amigos, anônimos e a mim mesmo todas essas coisas.
eu não posso ficar parado.

Ps: leiam o texto "o silêncio da acadêmia" no blog "rascunhos da vida". Ele contempla um dos assuntos aqui cabíveis.

http://www.myspace.com/bielcoiso

2 comentários:

pedro meinberg disse...

o texto do alex contempla de certa forma até o que eu pouco escrevi no meu último texto também.
e acho que você pode ficar parado sim, mas somente para absorver tantas coisas que observa.
aqui em marilia, onde esta para nós toda a euforia de vivências, experiências e reflexões, eu escrevo bem menos que na cidade dos meus pais.
numa analogia com o corpo animal: colocamos na boca, mastigamos, deglutimos (em marília), digerimos (na cidade dos pais ou em qualquer lugar longe daqui).

Alex Arbarotti disse...

certamente essa atitude é louvavel...
ficamos chocados com a imensidao que estava a nossa frente, e depois disso o que sera;;;;;;;;;;;;;;;;;;