sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Anonimidades [de novo]

Dar pano pra manga, é isso que farei a seguir. Até por que, não há como não fazê-lo.
Acabamos de almoçar e fomos andando até em casa hoje, longos 40 minutos, fomos sem pressa. Eramos três, e brincávamos de descobrir quem é o dono das anonimidades deste blog. Que começaram, de forma diretamente direcionada e direta, creio eu, em meados de março deste ano. Comentei aqui algumas vezes e tudo. Como disse, não há como não comentar o comentário.
Ontem o anônimo, que já se definiu com uma sequencia de adjetivos, voltou, ousaria dizer que de forma triunfal (ou triunfante). Fazendo uma série de referências que poderiam tirar dele a qualidade de desconhecido, sem identidade sabida. Falou bastante mesmo [leia a página de comentários anterior].
Elencamos uma série de suspeitos, mas sobretudo, demos boas risadas desta situação [sem tom de deboche com o sujeito insabido em questão, que fique claro, sobretudo para ele ou ela]. Rimos da nossa capacidade de ficarmos curiosos e arrepiados frente a este mistério. Fui questionado se iria a um novo encontro possivelmente marcado por e com ele.
E a minha resposta, no fim do assunto, quando já chegávamos em casa foi: "coronel mostarda, na sala de estar com a chave inglesa".

Ps: a frase "não passo de um paulistano cagão" tem sido repetida exaustivas vezes em minha cabeça nos últimos meses. Se se planta e se colhe o que veio destas sementes, a insonia é só o comecinho para mim. Cagão, sim, obrigado.

http://www.myspace.com/bielcoiso

Nenhum comentário: