segunda-feira, 13 de julho de 2009

Tá bom, dia do rock.

Acordei, como gosto de fazer quando estou em São Paulo, fiz um pão com queijo derretido, um copo de suco e liguei a televisão para comer assistindo video clipes. Fui pego de surpresa por três canais, a já batida MTv, a Global Multishow e o recém descoberto VH1, com tarjinhas no canto da tela escrito "dia mundial do rock", e uma programação que muito me agradou, sim. Clipes que raramente vejo por estes canais, nirvana, pearl jam, faith no more, jimi hendrix, rolling stones com o ac/dc [não que eu goste], até clipes de shelter e meat puppets passou! Show dos los hermanos na multi show [perdeu pedro!].
Não sei se é o desenrolar das coisas ou o excesso de coisas que posso alcançar (leia-se: possibilidades), mas esta programação toda, que de início me agradou, acabou me causando intensa chateação. A priori por que não gosto deste tipo de celebração, lembro que em 2003 eu fui na galeria [do rock] com o Renato um pouco antes do dia 13 de julho, e estavam pendurando la uma grande faixa, de frente para a igreja do Paissandú, escrito algo como "dia 13, dia do rock, mas na galeria, todo dia é do rock", e, realmente, essa faixa ficou lá por bons tempos, isto é, anos.
Secundariamente, me chateei tanto por que eu cresci com a cara na droga da MTv, ela chegou em casa lá por 1996, vi muita coisa lá, me lembro de um show do silverchair que anos depois descobri ser algo como lançamento do freak show, vi o surgimento do charlie brown jr [passando o primeiro clipe deles, de 1998] e muitas outras coisas. De modo que cresci achando todo aquele circo normal, e até gostando e, claro, até desejando alcança-lo. E hoje me vi frustrado com isso, tanto que desliguei a tv e fui tocar guitarra, todas as músicas que demorei para aprender [e entender] e hoje me soam tão simples. Do nirvana, do silverchair, do alice in chains, do dance of days. Liguei a distorção e fiquei exalando ruídos deliciosos e sacolejando os cabelos, realmente ciente de que eu não alcancei aquele circo, e talvez nunca alcance nem nada semelhante [que seja] mas acabo satisfeito, de ver como essas coisas do rock me fazem esse lixo que gosto tanto.
Mas há "dias do rock" que guardo com especial sabor, como o de 2004, do qual recordo com gosto de toda a semana, de um frio daquele delicioso julho.
Puta merda, como isso me chateia, a minha velhice não combina com as coisas que quero fazer. Merda.
ps (pedro e iris): há uma praça no final da avenida pacaembú que, em outras oportunidades, voltando da paulista de ônibus, eu já havia percebi se chamar Iris, mas hoje observei-a com mais atenção, e chama-se [pasmem] Iris Meinberg!]

www.myspace.com/bielcoiso

Um comentário:

pedro meinberg disse...

1. se passou o show do LH que abriu pro radiohead eu realmente perdi, pela segunda vez. caso contrário, não, eu tenho em dvd.
2. desencana, eu não sei se eu gostaria de te ver na mtv. a multishow não está mais firmeza? rs.
3. o curioso da "iris meinberg" deve ter sido a sua cara quando viu somente o nome "iris" e lembrou da iris. e mais curioso ainda é quando olhou direito e viu que depois de "iris" viu o "meinberg" e lembrou de mim, daí, em frações de segundo, ligou os nomes e deve ter se espantado, rs.