sexta-feira, 24 de julho de 2009

Som e fúria (II ou III).

(A menos que o último capítulo, hoje, cause grandes efeitos em mim, é a última vez que escrevo sobre esta série global).
O pessoal sempre comenta que estas minisséries da globo são boas. Falam muito de "a muralha", de uma sobre a chiquinha gonzaga, "dia de maria" e várias outras que nunca fiz questão de acompanhar. Dizem que é algo da globo, pela globo mas que foge do estilo globo. Resolvi acompanhar esta e fui surpreendido por uma sequencia de sentimentos bacanas e raciocínios legais assistindo-a. A história me envolveu, o casalsinho do comecinho da série me conquistou e hoje estou ancioso [ou ansioso, nunca sei escrever essa porra] pelo último capítulo, pois, assim como quando faltavam duas páginas para acabar de ler "a arte de produzir efeito sem causa", eu não conseguia imaginar um final em dua páginas, não consigo imaginar um final para a minissérie.
Creio que não o consigo pois não quero acreditar que algo que me soou um pouco "pela globo mas que foge do estilo globo", irá acabar tão no estilo globo [mesmo dando muito crédito a essa possibilidade]. O casal do maluco e a perdidinha da meia idade irá ficar junto, o morto irá, por fim, morrer e a companhia irá se salvar das cagadas feitas pelo facilmente enganável administrador. Pode ocorrer o total oposto, o que me soara um tanto quanto óbvio.
Mas não sei. Eu vim aqui fazer uma pesquisa, perdi a hora para a aula de antropologia e prefiro não entrar a entrar atrasado ou na metade. Vou para casa caminhando na chuva, e pensando, não na minissérie, que foi só desculpa pra escrever aqui, mas nas coisas que tenho que fazer [inclusive dar um role em cima do teatro municipal de são paulo].
Bosta, eu sei que vou só andar na chuva mesmo.

http://www.myspace.com/bielcoiso

Um comentário:

Iris disse...

eu perdi a ultima parte do ultimo épisódio. me tiraram do bar.
acho q vou ficar sem final mesmo