terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

As férias acabaram antes, ou eu as acabei antes, ou elas não começaram, do jeito como fui arrancado da cama, os pensamentos e sentimentos que me permeiam a quase dois meses e tudo o que tem me pegado pelos calcanhares; realmente, férias não é algo em que eu consegui pensar ou pelo menos me considerar. No duro, férias da vida iam bem sabe? Se lembra daquele desejo mais adolescente de dormir e so acordar um tempo depois. Enfim.
O tempo tem andado estranho. Esta noite começou uma festa dos alunos ingressantes em um curso que foi suspenso [ou seja, são 'ingressantes de porra nenhuma'], a festa começou la pelas sete, e, e pelo menos ate a hora em que sai de casa, não havia acabado, e eu sei que o barulho so vai acabar quando eles entrarem nas férias deles, daqui a muitos meses. Preciso partir daquele bairro. Logo!
E ai, bem, passei a noite lendo coisas antigas e escrevendo coisas que em breve serão velhas. E ai achei, no meio das minhas bagunças, um poster do Nirvana, que contém, na contracapa, uma tradução da carta de suicidio do Kurt, e duas frases se destacaram e me tocaram a ponto de eu repeti-las em voz alta.
Eu devo ser um desses narcisistas que só dão valor às coisas quando elas se vão (...) por que você simplesmente não aproveita? Eu não sei!
O problema é quando bate saudade e você realmente não pode mata-las; pode apenas lembrar-se. Merda. Por que você simplesmente não aproveita?

Um comentário:

pedro meinberg disse...

cara, eu tenho dificuldade em aproveitar bons momentos, e quando se dá conta do barato, já era! daí colocamos a culpa no tempo, que ele é êfemero, leva os bons momentos depressa demais, e que não deixa de ser uma mentira, mas sei lá, acho, pelo eu sim, poderia aproveitar algumas coisas muito mais, no tempo que me foi dado - ou quem sabe fazer prolongar esse tempo bom.
uma das poucas coisas que não transcendemos é o tempo: ele nos mata, literalmente, não?
vixe, já viajei... abraços!