sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

respostas de natal

...ai o tal do natal já havia acabado meio que oficialmente, os sentimentos ruins já me dominavam por completo (posso classificar tal momento com a palavra utilizada por meus amigos mauricinhos: "uma bad"); o semblante não muito alegre dominante nas últimas 48 horas permanecia, talvez agravado, não sei, evitei olhar-me no espelho. Foi quando entrei no blog do Pedro [o blog do eu sozinho aqui ao lado], muitas perguntas, depois das já citadas 48 horas de pessimismo e chateação extrema, resolvi responder algumas destas questões, puxando para o que vi no natal de minha família:
Quantos cigarros estão acessos? tenho uma tia que fuma, ela fumou 4 cigarros na noite do dia 24 e 4 ontem [dia 25];
Quantos goles de álcool estão sendo virado guelas abaixo? Poucos, vi apenas 4 copos de caipirinha, 1 caixa de cerveja e 2 copos de whiski as 48 horas inteiras, entre 13/14 pessoas;
Quantas vontades agora estão sendo reprimidas? Minha prima menor não pôde andar descalça;
Quanta comida agora está sendo jogada fora? tudo o que sobrou foi dividido, cada família levou um pouco para casa, aqui em casa não jogamos nada [exceto gorduras] fora, e a carne acabou agora, no almoço;
Quantos serão depois de amanhã trocados nas lojas? trocarei um tênis que ficou pequeno;
Por quanto tempo seria novo um briquedo para um criança de rua? na minha concepção, até que chegue outro dia em que as pessoas endinheiradas se recordem de que existem pessoas de rua, em se tratando de crianças, creio que isto pode ser no próximo dia das crianças ou no próximo natal.

...realmente, a náusea é grande, mas maior que ela, é a tristeza da ausência. Merda.

Um comentário:

Pedro Meinberg disse...

"a náusea é grande", e o tédio também.
"a tristeza da ausência", foi perfeito, nos remetendo a idéia de solidão.
e nausea e solidão, foi o que mais senti por esses dias.