quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

O fim do mundo.

Acho que isto será em algumas partes:
1)
Recordo-me de um reveion, acho que 04/05, estava com a família em São Vicente e alguns amigos surgiram lá por uma enorme coincidência, estávamos todos próximos e passamos a tal da 'virada' lá, ia ter show de algum conjunto e coisas do tipo, que realmente não me interessavam. Me lembro que meus pais me deixaram ficar na rua/praia até a uma da manhã, e meu pai me disse: "não é o fim do mundo". Bem, minha família voltou para o apartamento, de frente pra praia, mais ou menos meia noite e meia, e minha mãe ou meu pai [não consegui dientificar de longe] ficou na varanda me observando, realmente tive esta impressão. Os agradeço por tudo isso.
2)
Ter lido o blog do eu sozinho, mais uma vez, me fez parar para pensar no que escreveria aqui. Curioso foi encontrar nas palavras dele vontades semelhantes às minhas, cabisbaixez e certo ceticismo com relação a isto tudo que estão armando para hoje. Realmente não é o fim do mundo, é só uma virada de hora, invenções humanas, como a filosofia, as construções, enfim, hoje tem festa estranha com gente esquisita, veremos no que dará. É Pedro, apenas mais uma data para se vender camisetas escrito "feliz 2009" e muita, realmente, muita bebida.
3)
Por fim, fiz a pé a ida e a volta até o mercado (uns 5 quilometros ao todo, eu acho), sob o som dos fogos, e avistando o céu escuro de chuva, fiquei pensando, o que é o reveion, e os próprios votos de "feliz ano novo", se não a celebração da vida a curto prazo? Em um dia, uma noite, um jantar, depositadas todas as esperanças e crenças nos próximos 365 dias, e sempre com a fé de que o futuro pode ser melhor que o passado, e será, terá de ser, por melhor que tenha sido o vivido. Não sei, eu sempre me perco nestes pensamentos.
E tenho me perdido em tantos.

http://www.myspace.com/bielcoiso

2 comentários:

Pedro Meinberg disse...

grande gabriel;
acho que nao se perdeu nos pensamentos, e vou contigo neles. as festas dessa passagem celebram a vinda "de um futuro promissor", penso. merecia isso um estudo antropologico. e os aniversarios tambem celebram a vida a curto prazo, como escreveu.
sobre estar em marília, nao sei porque queremos. só imagino que voce quer porque nao quer ficar em sp. eu nao queria estar em barretos (embora eu possa ate me surpreender e algo hoje menos me desagradar).
essa noite merece ouvida "there is light".
abraço!!

Augusto Teixeira disse...

o fim do mundo chegou
o mundo acabou
estamos todos mortos
perdidos
mendigando alguns fogos de vida
e aguardando ressuscitar na próxima festa


abraço Gabriel