sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Não sei.

É sexta-feira, estou suado da pelada com os amigos e esgotado pelo raciocínio lógico. Ler, pensar, articular, discutir, é muito gostoso, é por isso que estou aqui, e por isso que canso aqui a cabeça e desconto no corpo, jogando bola.
Mas uma coisa me inquieta, me faz andar de lado a lado e pensar de cabo a rabo (desta forma, sem medo do clichê). Sempre paro para pensar nesta coisa, sobretudo quando ando sozinho pelas ruas, repetindo palavras que me pulam aos olhos aleatoriamente e são tomadas com gosto pela minha boca.
A questão é simples, e um tanto quanto 'bobinha', mas por que tenho sempre que saber de algo? Por que sempre tenho de ter razão de algo? Por que tenho sempre que andar pelas mesmas ruas carregando certezas que me orgulham por ser um ser humano correto, glorioso e sem dúvidas? E, sobretudo, por que tenho sempre que querer alguma coisa? Não posso passar um dia, uma semana, um mês, uma vida sem lá grandes ambições ou desejos oriundos de certezas?
"Você quer tal coisa?", "não sei", "mas como não sabe? tem que saber! quer viver como sem ter certeza. você é um estúpido, grosso, sem noção que vai se foder na vida".
Simplesmente, eu não sei; por que deveria saber?

http://www.tramavirtual.com.br/coiso

Nenhum comentário: